Muitos trabalhos exigem o corte de orifícios para prender duas ou mais peças. Assim, a produção de orifícios é parte importante da maioria das operações de corte. Puncionamento, perfuração, plasma, jato de água e laser são usados, dependendo da necessidade e da disponibilidade do equipamento. Em condições ideais, os fabricantes preferem usar um só processo para o corte de furos — jato de água, por exemplo — para reduzir o tempo de manuseio do material e poupar a área ocupada.

Tradicionalmente, os fabricantes cortariam do lado de fora de uma peça usando plasma e então moveriam a peça para uma segunda estação para cortar os furos. Isso acontecia por causa da qualidade imperfeita dos furos cortados a plasma típicos. Eles geralmente apresentavam uma conicidade bastante acentuada, na qual a base do furo era muito menor do que o topo, além de “afundamentos” e “cavidades”, ou seja, entalhes no interior do furo.

Felizmente, hoje existem formas de praticamente eliminar a conicidade, os afundamentos e cavidades, possibilitando o corte de furos “prontos para cavilha”. Se usar plasma em uma mesa X-Y, o operador pode alterar manualmente as velocidades da máquina e os ajustes de controle de altura e modificar os códigos da máquina para um tamanho específico de furo, espessura do material e nível de energia. Proprietários de um sistema de alta definição da Hypertherm, como o nosso HPRXD HyPerformance®, contam também com o benefício da tecnologia True Hole®, que automatiza grande parte do trabalho manual. Cortar furos a mão usando uma tocha manual a plasma também é possível, por meio do uso de ferramentas como guias para corte circular.

Exemplos de onde os furos cortados podem ser usados:

  • Corte de furos para prender uma peça cortada em outra chapa ou peça
  • Corte de vários furos em uma chapa grande, cano ou tambor para a passagem de mangueiras ou cabos
  • Criação de furos para medidores em um painel de instrumentos

Veja os produtos relacionados

Leia mais