Não importa qual método de corte automatizado que esteja usando, as etapas para tornar uma ideia em um objeto real são os mesmos.

Etapa 1:

Crie um modelo tridimensional computadorizado ou um desenho CAD (Computer Aided Design) bidimensional do objeto

Pacotes de software CAD tridimensionais são geralmente usados para a modelagem de peças. O modelo pode ser de uma única peça ou de um conjunto inteiro. Poderá também desenhar a mesma peça usando um software de desenho CAD bidimensional. Qualquer opção funciona no fluxo do processo de corte automatizado. A saída desta etapa é um modelo 3D dimensionalmente escalado ou um arquivo de peça 2D.

Etapa 2:

Importe o modelo 3D ou o desenho CAD 2D para o seu software CAM (Computer Aided Manufacturing)

O trabalho principal do software CAM é converter o modelo 3D ou desenho CAD criado na etapa 1 em instruções de corte que a máquina pode ler. Ele controla as ferramentas da máquina usadas no processo de fabricação e estabelece os requisitos de movimento e parâmetros de corte que serão incluídos no programa de peças.

Versões anteriores do software CAM eram simplesmente pós-processadores que geravam comandos de partida, parada e movimento para cortar a peça baseada em um desenho 2D. O software CAM atual automatiza tarefas manuais no ambiente de trabalho, aumenta a velocidade e eficiência gerais do software e usa medidas de controle de qualidade integradas. A experiência em processos é integrada diretamente no programa de peças, criando resultados de qualidade de forma consistente com intervenção mínima do operador. Isso inclui o layout das peças na peça de trabalho, chamado de “grupo”, para que o caminho de movimento e as técnicas de corte sejam otimizados.

Etapa 3:

Gere um programa de corte a partir do modelo ou desenho que acabou de importar.

Quando as formas desejadas estiverem agrupadas e convertidas em instruções de corte (por exemplo, código numérico para instruir uma máquina), um programa de peças pode ser retirado e salvo para corte.

Programas básicos instruem a máquina quando mover, para onde se deslocar e a velocidade do movimento. Programas mais avançados contêm informações integradas que otimizam cada trabalho, da mesma maneira que faria um operador experiente. Conhecimento integrado ajuda o CNC a controlar automaticamente a faixa de fluxo, os ajustes de pressão, o comprimento e tempo dos percursos de entrada e saída, a direção do corte, a ordem em que as partes são cortadas, os comandos de controle de altura, a velocidade de corte e outros parâmetros de processo.

Etapa 4:

Carregue o programa em seu CNC e inicie o corte

A O Comando numérico computadorizado (CNC) é conectado à máquina de corte e normalmente consiste de uma HMI (Interface homem-máquina) e capacidade de processamento interna. Embora os CNCs variem em tamanho e complexidade, a unidade geralmente fornece instruções de movimento e outras instruções relacionadas para os amplificadores/motores de acionamento da tabela, a ferramenta de corte e os equipamentos associados.

O software CNC recebe entradas do console do operador, lê as instruções do programa de peças e executa tudo isso enviando sinais para controlar toda a operação de corte. Enquanto o software CAM programa tudo que pode ser planejado previamente, o software CNC executa o programa de peças real, coordena o movimento e o sistema de corte com sincronização precisa e reage ao retorno do ambiente de corte.

As entradas essenciais para o CNC são o programa de peças, sinais de retorno do sistema de corte, tabela e suporte motorizado e as chaves do console do operador.

Não tem certeza de qual processo ou método utilizar?

Você encontrará informações úteis aqui: