Muitos fatores podem afetar o custo geral da operação de um sistema de corte: consumíveis, potência, gás, manutenção, etc.

Custo de mão-de-obra também é um contribuinte importante para o custo operacional na maior parte do mundo. Taxas de mão-de-obra mais altas e a falta de mão-de-obra qualificada continua a impulsionar a demanda de soluções de corte automatizadas. Para melhorar ainda mais os custos operacionais, considere uma solução totalmente automatizada que pode reduzir ou eliminar:

  • a necessidade de programação e instalação no CNC
  • operações secundárias, como a pulverização para a preparação de soldagem
  • a necessidade para mais de uma máquina executar várias operações de processo como cortes, marcações e chanfros

A utilização de material é outro contribuinte importante para o custo operacional. Embora em muitos casos seja possível recuperar alguns dos custos vendendo materiais não utilizados ou de recorte, é muito mais benéfico aumentar a utilização do material para que haja menos desperdício. Uma série de fatores contribuem para a utilização de material. Notavelmente, o software CAD/CAM que determina o agrupamento de peças e direciona o movimento de corte.

Ao calcular o custo operacional, é importante evitar calcular apenas o custo por hora e, em vez disso, o custo por peça ou por metro. Por quê? Um sistema que custa US$ 20 por hora para operar, mas produz apenas duas peças por hora, não é tão eficiente quanto um que custa US$ 20 por hora, mas produz 100 peças.

Custo por peça = Custo operacional por hora / número de peças produzidas

Custo por metro = Custo operacional por hora / número de metros cortados

 

Uma avaliação ainda mais profunda de custo operacional requer o entendimento do custo total para produzir uma peça concluída, incluindo processos secundários para preparar a peça para goivagem ou pintura, ou simplesmente fazendo acabamento por motivos artísticos. Quando processos secundários — e o tempo de máquina e custos de mão-de-obra necessários — podem ser reduzidos através de melhoramentos no processo de corte, o custo total por peça concluída pode ser reduzida.

Uma área muitas vezes desprezada no sistema de corte é o desempenho do Controle de altura da tocha (THC). Um controle de altura de alto desempenho possui a habilidade de instalação de processos automatizados através do CNC ou do Programa de peças para:

  • reduzir ou eliminar erros de instalação comuns
  • compensar o desgaste do eletrodo para maximizar a vida útil do consumível
  • manter a altura correta para uma angularidade de corte ideal
  • detectar colisões da tocha, protegendo a tocha contra danos

 

A seguir, custo de investimento em equipamento